“My Secret Romance”: Uma Análise Crítica do Dorama com Sung Hoon

My Secret Romance capa

Quando “My Secret Romance” foi lançado, embarquei na ideia de assisti-lo como um passatempo leve e divertido, uma espécie de nonsense doce, com o adicional de Sung Hoon exibindo sua inquestionável beleza. Contudo, a série mal conseguiu atingir essa expectativa mínima – apesar de Sung Hoon manter seu charme inegável, isso é certo.

O Que Não Funcionou

Vamos direto ao ponto: “My Secret Romance” contou com apenas 13 episódios, e confesso que avancei rapidamente cerca de 90% dos últimos quatro.

No início, a série parecia prometer um toque de comédia e romantismo agradável. Houve momentos encantadores entre os protagonistas, e não posso negar que o timing cômico de Sung Hoon (e sua aparência atraente) foram pontos altos. Contudo, o dorama não conseguiu superar seu nível alarmante de monotonia. Era aquele tipo de tédio que me fazia mexer no celular enquanto os protagonistas se beijavam.

My Secret Romance 1

“1% of Anything”, que compartilha o mesmo diretor e uma premissa similar com “My Secret Romance”, conseguiu executar um enredo onde o romance era o foco central. Mas o que funcionou naquela produção não se repetiu aqui, por algumas razões. Primeiro, “1% of Anything” tinha 16 episódios, mas cada um com duração de apenas 30 a 40 minutos. Talvez com episódios mais curtos, “My Secret Romance” poderia ter evitado a enxurrada de flashbacks e angústias sem sentido que dominaram o último terço do dorama.

Outra diferença marcante foi a protagonista feminina. Em “1% of Anything”, Jeon So Min deu vida à Da Hyun, com uma energia que a tornava interessante de assistir e que sustentava a série na base da química pura. Já em “My Secret Romance”, Yoo Mi é praticamente um tronco ambulante, expressando-se apenas com soluços. Fica difícil entender o porquê de Jin Wook querer se relacionar com Yoo Mi, que parecia sempre assustada e relutante em sua presença.

Parece-me que uma atriz mais talentosa ou um personagem melhor elaborado faria uma diferença significativa. No entanto, a dinâmica entre Jin Wook e uma Yoo Mi aparentemente apavorada e desinteressada soava desconfortável – beirando o assédio, para ser franco. Sung Hoon pode não ser o melhor ator do mundo, mas acredito que seu carisma e humor eram suficientes para sustentar um romance nesse nível. Song Ji Eun, por outro lado, não conseguiu corresponder em termos de química, o que não ajudou um dorama já frágil.

Sinceramente, a impressão que tive é que Yoo Mi estaria melhor se relacionando com seu melhor amigo, o único que parecia deixá-la à vontade. Não era exatamente uma questão de preferir o segundo protagonista, mas um desejo de vê-la menos sobressaltada e mais confortável.

O Que Funcionou

Claro, nem tudo em “My Secret Romance” foi um fracasso. Como mencionei antes, o romance nos primeiros episódios foi agradável, e a série definitivamente se apoiou no carisma de Sung Hoon como um deleite visual engraçado e atraente. Ele não decepcionou. Se a série tivesse sido apenas sobre ele brincando com crianças no parquinho, enquanto as mães o observavam encantadas, provavelmente teria sido mais satisfatório.

My Secret Romance 3

Outro ponto que considerei interessante foi a história submersa na relação entre Yoo Mi e sua mãe. “My Secret Romance” tocou superficialmente na razão de Yoo Mi se sentir envergonhada sobre sexualidade, mas teria sido fascinante explorar mais o desenvolvimento desse personagem e a potencial discussão sobre como as mulheres internalizam a culpa sexual.

É claro que, talvez, eu estivesse esperando demais de um dorama como este, mas em grande parte, eu esperava algo — qualquer coisa — para tornar Yoo Mi mais humana.

*Recomendaria “My Secret Romance”?

Se você está procurando por algo extremamente leve e descompromissado, talvez a primeira metade da série seja aceitável. Ou apenas assista ao episódio 8, aproveite alguns momentos de beijos e Sung Hoon encantando crianças, e depois parta para séries melhores.

My Secret Romance 5

Fonte: kdramafighting

Deixe um comentário